6.01.2011

ROTEIRO DA SEMANA

Alessandra Leão
A compositora vem do Recife para o Rio mostrar o seu segundo CD-solo, Dois Cordões, lançado em 2009. Com dez faixas, o álbum tem participação de Jorge Du Peixe (Nação Zumbi). O repertório tem forte influência de ritmos regionais, entre eles o forró e o xote, perceptível em Varanda. Alessandra começou a carreira em 1997, com o grupo Comadre Fulozinha, e já cantou ao lado de Antônio Nóbrega, Siba e Silvério Pessoa. Livre. Auditório do BNDES (600 lugares). Avenida República do Chile, 100, Centro, 2172-7770. Quinta (2), 19h. Grátis. Distribuição de senhas duas horas antes.

Baixada Jazz Big Band
Formada, em sua maioria, por músicos de Nova Iguaçu, a banda apresenta temas de grandes nomes do jazz, entre eles Thad Jones (1923-1986), Sammy Nestico e Henri Mancini (1924-1994). Também entram no repertório Shiny Stockings (Franck Foster), Blue Daniel (Rod McConnell) e Straight No Chaser (Thelonious Monk). Livre. Sala Municipal Baden Powell (500 lugares), Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, tel. 2255-1067. Quarta (1°), 20h, R$ 30,00.

Egberto Gismonti
Virtuose da música instrumental, o músico é a atração da abertura do Oitavo Seminário de Friedmann. O evento batizado com o nome do cientista russo Alexander Friedmann (1888-1925), pioneiro da cosmologia, reúne pesquisadores de trinta países. Egberto sobe ao palco acompanhado pelo filho, Alexandre Gismonti, também ao violão, e pela violinista Ana de Oliveira. Livre. Espaço Tom Jobim (300 lugares). Rua Jardim Botânico, 1008 (dentro do parque Jardim Botânico). 2274-7012. Segunda (30), 20h. Grátis. Distribuição de senhas a partir das 18h30.

Festival Tabuleiro
Para além do axé, a Bahia tem intérpretes influenciados por rock, MPB, música eletrônica, reggae e samba. É isso o que mostra o projeto Tabuleiro, promovido pelo CCBB. Na próxima edição do evento vão se apresentar Jarbas Bittencourt, Pietro Leal e Ronei Jorge. Jarbas ficou conhecido por fazer a trilha da peça Ó Paí, Ó, que ganhou versões para o cinema e a TV. Pietro Leal integra a banda de rock Pirigulino Babilake, bem-sucedida na mistura de pop e maracatu, como comprova a música Trapezistas no Colchão. Integrante da banda de rock Ladrões de Bicicleta, Ronei mescla influências regionais, como a batida do candomblé, ao rock e à MPB. Livre. Centro Cultural Banco do Brasil — Teatro II (155 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, 3808-2007. Terça (31), 12h30 e 19h. R$ 6,00.

Francis e Olivia Hime
Feito no formato de voz e piano, o repertório inclui canções de diversos compositores, como O Grande Amor (Tom Jobim e Vinicius de Moraes) e Tristeza e Solidão (Baden Powell e Vinicius de Moraes). O álbum também conta com canções de Francis, entre elas Saudade de Amar, parceria sua com Vinicius. O clima intimista do espetáculo fica por conta da direção cênica e do roteiro de Flavio Marinho. A temporada segue por quatro fins de semana. 16 anos. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269 Leblon, 2294-4480. Sábado (4), 21h30. Domingo (5), 20h30. R$ 30,00. JACK JOHNSON. Leia em Veja Rio Recomenda (pág. 6). 16 anos. HSBC Arena (10 000 lugares). Avenida Embaixador Abelardo Bueno, 3401, Jacarepaguá, 3326-7243. Domingo (5), 20h. R$ 160,00 (cadeira nível 3) a R$ 480,00 (pista premium). Cc: D, M e V. Cd: R e V. Bilheteria: 11h/19h. IC. www.hsbcarena.com.br.

Jards Macalé e Jorge Mautner
Expoentes da contracultura que floresceu nos anos 60, eles marcaram a história da MPB a bordo do tropicalismo. Macalé, autor de Vapor Barato, ao lado de Wally Salomão, e Mautner, o compositor de Maracatu Atômico, com Nelson Jacobina, encontram-se com ingresso quase de graça no projeto 7 em Ponto. Na repertório estão prometidos, além das citadas, Manjar de Reis, Sapo Cururu, Vem Comer Esta Banana e Hotel das Estrelas. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, 2215-0556 e 2224-3602. Terça (31), 19h. R$ 1,00.

John Pizzarelli
O cantor e guitarrista americano volta a se apresentar no Rio após três anos. Ele já perdeu a conta das vezes que visitou o Brasil, na maioria delas com apresentações no pequeno palco do extinto Mistura Fina, na Lagoa. Pizzarelli vai desfiar standards americanos de George Gershwin, Johnny Mercer e Sammy Cahn. A lista inclui também canções de seu último CD, Rockin in Rhythm, em que faz um tributo ao compositor, pianista e líder de orquestra Duke Ellington (1899-1974), assim como sucessos bossa-novistas, a exemplo de Só Danço Samba. Ele é acompanhado no palco pelo irmão, Martin Pizzarelli (baixo), além de Tony Tedesco (bateria) e Larry Fuller (piano). A apresentação de abertura fica por conta da cantora paulistana Patty Ascher, mas as atrações não param por aí: a noite ainda conta com show do Quinteto Nuclear. 16 anos. Vivo Rio (2 000 lugares). Rua Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, 2272-2900. Sexta (3), 20h30. R$ 100,00 (camarote B) a R$ 180,00 (setor vip). Bilheteria: 12h/20h (seg. a qui.); a partir de 12h (sex.). Cc: M e V. Cd: R e V. IR. www.vivorio.com.br.

Luiz Melodia
Intérprete consagrado, Melodia presta homenagem a Cartola, Ismael Silva, Paulinho da Viola, Chico Buarque e outros grandes nomes da música brasileira. Em apresentação com formato de voz e violão, ele também relembra temas infalíveis de seu repertório. Na lista estão Pérola Negra, Negro Gato, Farrapo Humano e Estácio Holly Estácio. Livre. Teatro Municipal de Niterói (400 lugares). Rua XV de Novembro, s/n°, Centro, Niterói, 2620-1624. Sábado (4), 21h e domingo (5), 20h, R$ 50,00.

Marcos Sacramento e Zé Paulo Becker
Compositor e violonista, integrante do formidável Trio Madeira Brasil, Zé Paulo exibe novo repertório, que faz parte de um CD a ser lançado no segundo semestre. Na companhia do cantor Marcos Sacramento, ele passeia por um programa dançante, marcado por choro, samba e maxixe. A dupla apresenta Dois Lado e Remendo (parcerias de Zé Becker e Paulo César Pinheiro) e Na Cabeça (Luiz Flavio Alcofra e Marcos Sacramento), entre outras. Acompanham o violonista e o cantor Rogério Caetano (violão de sete cordas), Bebê Kramer (acordeom) e Beth Marques (voz). 18 anos. Clube dos Democráticos (600 pessoas). Rua do Riachuelo, 91, Lapa, 9781-2451. Sexta (3), 23h30.
R$ 25,00.

Martinho da Vila
O sambista volta ao palco para lançar o CD e DVD Lambendo a Cria. O trabalho, de repertório leve e saboroso, tem clima de festa, e não é à toa. Afinal, Martinho divide as gravações com cinco filhos: Analimar Ventapane, Mart’nália, Juliana Ferreira, Tunico Ferreira e Maíra Freitas. O espetáculo começa com o patriarca cantarolando sozinho Todos os Sentidos, de sua autoria. Em Jobiniando, parceria sua com Ivan Lins, presta homenagem ao maestro Tom Jobim, em duo com a filha Maíra. Clássico do cantor, a animada Casa de Bamba ganha interpretação ao lado de Juliana. O músico de Vila Isabel também reverencia a grande dama do samba, Dona Ivone Lara, em Lara, feita em parceria com Zé Catimba. 18 anos. Vivo Rio (2 000 lugares). Rua Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, 2272-2900. Quinta (2), 22h. R$ 60,00 (pista) a R$ 140,00. Bilheteria: 12h/20h. www.vivorio.com.br.

Emílio Santiago

Dias 02, 03 e 04 de junho de 2011 Quinta a sábado no Teatro Rival Petrobras

Enquanto aguarda o lançamento do primeiro DVD homônino gravado pela Santiago Music (nas lojas no segundo semestre) Emílio Santiago vai curtindo o sucesso da turnê nacional do álbum Só danço samba”. Depois do circuito realizado por algumas unidades do Sesi carioca, semana passada, e das apresentações pelas principais capitais brasileiras, Emílio fará uma curta temporada no Teatro Rival Petrobras, nos próximos dias 02, 03 e 04 de junho, às 19h30. O CD, que arrebatou os fãs, ganhou críticas positivas da imprensa especializada, é dedicado ao “rei dos bailes ED Lincoln ” e traz canções consideradas atemporais. E, para felicidade geral, o espetáculo pontuado por alguns dos mais belos clássicos da música brasileira, também anda conquistando as plateias de norte a sul do país.

A produção musical do espetáculo “Só danço Samba” é do premiado produtor José Milton (responsável também pelo CD) e a direção geral do craque Túlio Feliciano. Os músicos que acompanharão Santiago no palco do Rival Petrobras são: Adriano Souza e Clebson Santos (teclados), Humberto Mirabelli (violão), Alex Rocha (baixo), Amaro Jr (bateria), Jacaré (percussão)
e Zé Arimatéia (flugelhorn).
Teatro Rival Petrobras (472 lugares) - Rua: Álvaro Alvim, 33/37 - Cinelândia. Tel.: 2524-1666. Dias 02, 03 e 04 de junho de 2011, Quinta a sábado às 19h30.
Ingressos: Setor A: R$ 70,00(Inteira) R$ 35,00(Meia) | Setor B: R$ 60,00(Inteira) R$ 50,00 (Os 100 primeiros pagantes) R$30,00(Meia). Informações: www.rivalpetrobras.com.br

5.26.2011

Leny Andrade e Quinteto

                           Dias 26 e 27 de maio – Quinta e Sexta, às 19h30

O bolero é, certamente, o mais “brasileiro” dos gêneros internacionais de música popular. E Leny Andrade é, sem dúvida, a mais internacional dentre as cantoras populares do Brasil. Leny Andrade cresceu tocando piano e ouvindo bolero. E, como crooner de orquestra que foi, certamente muitos deles cantou, até seu encontro com o jazz e o samba-jazz do contexto bossa-novista.

Estreando no disco em 1961, cinco anos mais tarde, depois de uma temporada nacional de grande sucesso, nossa cantora foi para México, onde trabalhou e viveu por cinco anos. Lá, sempre atuando em ambientes de prestígio, conviveu com Mário Moreno, o Cantinflas, que, como presidente da associação mexicana dos artistas, não fazia graça pra ninguém. Foi admirada pela atriz María Félix, a “Maria Bonita” de Agustín Lara, tão idolatrada em seu país que, quando anunciada nos shows de Leny, era sempre aplaudida de pé. Teve como amigos, entre muitos outros, José José, espécie de Roberto Carlos de lá; Armando Manzanero, grande autor e cantor; Lucho Gatica, ídolo também no Brasil; e Sónia La Única, cantora para quem o brasileiro Garoto compôs o clássico Duas contas.

Assim, depois de quase meio século de carreira fonográfica e dezenas de discos lançados, Leny resolveu gravar este Alma Mía. Como um tributo à sua valiosíssima experiência mexicana.

Mais próximo do estilo consagrado pela cubana Olga Guillot – mencionada no Diccionario de la música cubana, de Helio Orovio, como cancionera (aquela que “diz” a canção: diferente de cantante), amiga de Leny e por esta reconhecida como sua grande influência –, este CD talvez pudesse levar um subtítulo assim como “A canção ibero-americana segundo Leny Andrade”. Congregando um repertório de autores de várias épocas e procedências (Arturo Castro, Ernesto Duarte, Margarita Lecuona, Pedro Junco e Vicente Garrido, cubanos; A. Carrillo, Manzanero e María Grever, mexicanos; Gardel, Lepera e os irmãos Expósito, argentinos; e até um norte-americano, Clare Fischer), eruditos, tangueiros e jazzistas; oitocentistas e contemporâneos, ele surpreende, positivamente, pela ausência de standards, como alguns boleros belíssimos mas onipresentes. E até mesmo pelo fato de os arranjos terem privilegiado cordas, palhetas e metais em vez do baixo acústico, dos bongôs, maracas e claves (ta-tá-tá… tá-tá) da tradição cubana.

Porque este Alma Mia – que inclusive contempla, na primeira faixa, um comovente bolero que nasceu tango – é, repetimos, a canção latino-americana segundo Leny. Ou, quem sabe, “as veias abertas de Leny Andrade”.Visceral, sim, este CD. Mas sem “dós de peito”. Apaixonado, mas jamais brega. Refinado, mas sem frescuras.

Um Leny Andrade, safra 1943, encorpado, saboroso. Que “harmoniza” com tudo. E cai bem em qualquer fino paladar, nacional ou estrangeiro.

Teatro Rival Petrobras (472 lugares) - Rua Álvaro Alvim, 33/37 - Cinelândia. Tel.: 2524-1666
Dias 26 e 27 de maio – Quinta e Sexta às 19h30
Ingressos: R$ 50,00(Inteira) R$ 40,00(Os 100 primeiros pagantes) R$ 25,00(Meia) .
Classificação: 16 anos. Mais info. www.rivalpetrobras.com.br

5.04.2011

ROTEIRO DA SEMANA

BAIXADA JAZZ BIG BAND

A maioria dos integrantes deste conjunto de dezesseis músicos é de Nova Iguaçu e se reuniu em torno do interesse comum pelo jazz. Com o reforço do saxofonista franco-argelino Idriss Boudrioua, exímio instrumentista radicado no Rio, a big band apresenta standards do gênero. Livre. Sala Baden Powell (508 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, tel. 2548-0421, ↕ Cardeal Arcoverde. Quarta (4), 20h. R$ 30,00.

CRIOLINA

Liderada pelo casal Alê Muniz e Luciana Simões, que substituiu Izabella Rocha nos vocais do Natiruts, a banda mistura elementos de música regional com ritmos caribenhos, reggae e drum’n’bass para criar um pop certeiro. Além de cantar, Muniz também toca guitarra. Eles apresentam as canções de Cine Tropical, seu segundo e mais recente CD. 16 anos. Teatro Rival Petrobras (472 lugares). Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia, tel. 2240-4469, ↕ Cinelândia. Sábado (7), 23h30. R$ 50,00. Bilheteria: 15h/21h (seg. a sex.); a partir de 15h (sáb.). TT. www.rivalpetrobras.com.br.

DANIEL GARCIA E ANDRÉ TANDETA

O duo de saxofone e bateria apresenta composições próprias e clássicos do jazz. Livre. Sala Baden Powell (508 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, tel. 2548-0421, ↕ Cardeal Arcoverde. Domingo (8), 19h. R$ 1,00.

FESTIVAL BECO DAS GARRAFAS

Filha de Sylvia Telles (1934-1966), e também cantora, Claudia Telles é a principal atração da quinta semana do evento dedicado à bossa nova e ao samba-jazz. Ela sobe ao palco na sexta (6) e no sábado (7) para mostrar composições de Johnny Alf, Menescal, Carlos Lyra e Tom Jobim. No domingo (8), o guitarrista italiano Edy Palermo apresenta a vasta bagagem musical de quem já acompanhou Chet Baker. Livre. Teatro Café Pequeno (110 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, tel. 2294-4480. Sexta (6) e sábado (7), 19h. Domingo (8), 18h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a qui.); a partir das 16h (sex. a dom.). TT.

JOANA DUAH E BAIÃO DE 5

Ex-integrante do grupo de reggae Maskavo Roots, a cantora encontrou no quinteto que costuma acompanhar Leny Andrade o apoio perfeito para investidas em outra seara: a bossa nova. O conjunto é formado por Fernando Merlino (piano), Jamil Joanes (baixo), Erivelton Silva (bateria), Júlio Merlino (sax e flauta) e José Arimatéa (trompete). Livre. Sala Baden Powell (508 lugares).Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, tel. 2548-0421, ↕ Cardeal Arcoverde. Sexta (6), 20h. R$ 20,00.

JOHN FOGERTY

Depois de partir para a carreira-solo, em 1973, o cantor e guitarrista já lançou mais de dez discos, mas continua sendo mais conhecido pelo trabalho à frente do Creedance Clearwater Revival. Foram quatro anos, entre 1968 e 1972, ao longo dos quais alcançou, de forma meteórica, oito discos de ouro. Desse tempo, Have You Ever Seen the Rain é obrigatória. Do disco-solo Centerfiel, The Old Man Down the Road também costuma marcar presença no repertório. 16 anos. Citibank Hall (3 093 lugares). Avenida Ayrton Senna, 3000 (Shopping Via Parque), Barra. Informações, tel. 0300 7896846 (9h/21h). → Sexta (6), 22h. R$ 250,00 (cadeira lateral) a R$ 450,00 (camarote e setor vip). Bilheteria: 12h/20h (seg. a qui.); a partir das 12h (sex.). Cc: todos. Cd: R e V. TM. www.citibankhall.com.br.

LUIZ MELODIA

Criado no Morro do São Carlos, no Estácio, o cantor e compositor que flertou com a jovem guarda no início de carreira encontrou seu caminho no samba. Para o espetáculo Estação Melodia, pinçou pérolas dos anos 30, 40 e 50, além de composições de Paulinho da Viola e Chico Buarque. Melodia solta a voz ao lado de Renato Piau (violão), Alessandro Cardoso (cavaquinho), Charles Costa (violão), Humberto Araújo (saxofone), Alexandre Maionese (flauta), Rodrigo (pecussão), Netinho (pandeiro) e Silvério Pontes (trompete). Livre. Auditório do BNDES (300 lugares). Avenida Chile, 100, Centro, el. 2172-7757, ↕ Carioca. → Quinta (5), 19h. Grátis. Distribuição de senhas uma hora antes.

MAÍRA SANTAFÉ

Compositora e cantora do samba-enredo do bloco niteroiense Saias da Folia, Maíra lança seu disco de estreia com composições de Dona Ivone Lara, Candeia, Almir Guineto e Paulo César Pinheiro. 16 anos. Teatro Rival Petrobras (472 lugares). Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia, tel. 2240-4469, ↕ Cinelândia. Quarta (4), 19h30. R$ 60,00. Bilheteria: 15h/21h (seg. e ter.); a partir de 15h (qua.). TT. www.rivalpetrobras.com.br.

MARCELO CAMELO

Dono de um estilo difícil de definir, o cantor e guitarrista lança o segundo disco da carreira-solo, Toque Dela. Canções como Acostumar, Vermelho e A Noite transitam entre a MPB e o rock com belos arranjos para naipe de metal composto de corneta, trompete, trombone, clarone, sax barítono e clarinete. Em estúdio, boa parte desse instrumental foi gravada pelo próprio Camelo. Ele sobe ao palco na companhia do sexteto paulistano Hurtmold, que participou de toda a gravação. A banda de abertura, Me & The Plant, tem entre seus integrantes dois companheiros de Los Hermanos: o baterista Rodrigo Barba e o baixista Bubu. 18 anos. Circo Voador (2 000 pessoas).Arcos da Lapa, s/nº, Lapa, tel. 2533-0354. Sábado (7), 22h. R$ 80,00. Bilheteria: 12h/19h (ter. a qui.); 12h/0h (sex.); a partir de 21h (sáb.). IC. www.circovoador.com.br.

MARIANA BALTAR

A cantora abre espaço na agenda de lançamento de seu disco homônimo, o segundo da carreira, para homenagear três mestres da música brasileira que fariam 100 anos em 2011: Nelson Cavaquinho, Assis Valente e Pedro Caetano. Mariana divide o palco com Josimar Carneiro (violão), Marcílio Lopes (bandolim e bandola), Jayme Vignoli (cavaquinho), André Boxexa (bateria e percussão) e André Vercelino (percussão). Ela também recebe quatro convidados, entre eles o violonista Zé Paulo Becker. 18 anos. Centro Cultural Carioca (200 lugares). Rua do Teatro, 37, Centro, tel. 2252-6468, ↕ Carioca. Segunda (2), 21h. R$ 25,00. Cd: R e V. www.centroculturalcarioca.com.br.

MIHAY

O cantor e compositor lança seu álbum de estreia, Respiramundo, com onze composições próprias que transitam entre samba-rock e reggae. No lançamento, ele terá a companhia de Fabricio Signorelli (guitarra), Daniel Tot (bateria), Alex Way (acordeom) e Felipe Jeunon (baixo). 14 anos.Solar de Botafogo (160 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, tel. 2541-1941. Quarta (4), 21h30. R$ 40,00. www.solardebotafogo.com.br.

NOVA CENA MUSICAL

O festival traz gente que está dando os primeiros passos na carreira profissional. Na quarta (4), a cantora Solange Pellegrini mostra o repertório do seu disco de estreia, que, além de compositores consagrados, também prestigia novatos como Roberto Haag e Dellyo Álvares. Na quinta (5), é a vez do compositor, violonista e cantor Murá, que participou do DVD de Maria Gadú na faixa Paracuti. Livre. Teatro Café Pequeno (110 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, tel. 2294-4480. Quarta (4) e quinta (5), 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 16h/21h (ter.); a partir das 16h (qua. e qui.). TT.

PEDRO IVO

Depois de uma série de shows no extinto Cinematheque, em 2009, o cantor e compositor decidiu gravar seu repertório de cirandas, valsas, frevos e sambas. O disco Mulheres que Cantam Pedro Ivo traz duetos com Aline Paes, Karla da Silva, Luiza Borges e Pati Oliveira — todas elas vão participar da apresentação de lançamento. Completam a formação o violonista André Siqueira, o baixista Tássio Ramos e a baterista Geórgia Câmara. 18 anos. Centro Cultural Carioca (200 lugares). Rua do Teatro, 37, Centro, tel. 2252-6468, ↕ Carioca. Quinta (5), 21h. R$ 30,00. Cd: R e V. www.centroculturalcarioca.com.br.

REGIONAL NACIONAL

Formado por Rafael Malmith (violão de sete cordas), Nina Wirtti (voz), Guto Wirtti (contrabaixo), Tiago Souza (bandolim), Aquiles Moraes (trompete), Léo Pereira (cavaco) e Anderson Balbueno (pandeiro), o grupo coloca os casais para bailar ao som de choro. Além de canções de Pixinguinha, há sambas e serestas que se tornaram famosos nas vozes de Orlando Silva, Isaura Garcia e Carmen Miranda. 18 anos. Clube dos Democráticos (600 pessoas). Rua do Riachuelo, 91, Lapa. Informações, tel. 9781-2451. Sexta (6), 23h30. R$ 25,00.

RIO TO JAPAN

Um time de primeira da música brasileira divide o palco com a pianista e cantora japonesa Mika Mori — ela visita o Rio para promover este espetáculo em prol das vítimas do terremoto no Japão. Entre os convidados, estão a cantora Leny Andrade, os violonistas Roberto Menescal e Lula Galvão, o baterista Erivelton Silva, o baixista Jorge Helder e o trompetista Jessé Sadoc. No repertório, Fim de Semana em Eldorado (Johny Alf) e A Paz (Gilberto Gil). Livre. Sala Baden Powell (508 lugares).Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, tel. 2548-0421, ↕ Cardeal Arcoverde. Quinta (5), 20h. R$ 30,00. TT.

SANDY

Depois de ter casa cheia na última apresentação carioca, a cantora volta à cidade para apresentar Manuscrito, seu primeiro disco-solo. Além de composições próprias, há releituras de Marisa Monte, Legião Urbana e Oasis. 16 anos. Vivo Rio (2 000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, tel. 2272-2900. Sábado (7), 22h. R$ 50,00 (camarote B, frisas e setor 3) a R$ 140,00 (VIP premium). Estac. c/manobr. (R$ 15,00). IR. www.vivorio.com.br.

SKANK

Gravado diante de 50 000 pessoas, o DVD Multishow ao Vivo — Skank no Mineirão traz os grandes sucessos do quarteto formado por Samuel Rosa (voz e guitarra), Henrique Portugal (teclados), Haroldo Ferretti (bateria) e Lelo Zaneti (baixo). Não faltam hits dos primórdios da banda, como Garota Nacional, que se alinha à recente De Repente, parceria de Rosa com Nando Reis. O repertório foi definido com a ajuda dos fãs, que votaram pela internet. Na abertura, os gaúchos do Chimarruts atacam com seu reggae. 18 anos. Fundição Progresso (4 000 pessoas). Rua dos Arcos, 24, Lapa, tel. 2220-5070. Sexta (6), 23h50. R$ 80,00. Bilheteria: 10h/13h30 e 14h/18h (seg. a qui.); a partir das 14h (sex.). www.fundicaoprogresso.com.br.

TOQUE DE ARTE

Formado por Marcelo Eloi (voz e percussão), Marcio Costa (voz, cavaco e percussão), Marcelo China (voz e violão) e Fernando Regis (voz, cavaco e percussão), o grupo é a próxima atração da série Lapa de Todos os Sambas. Livre. Teatro II do CCBB (155 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, tel. 3808-2020. Terça (3), 12h30 e 19h. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (ter). www.bb.com.br/cultura.

VILLA-LOBOS IN JAZZ

Otávio Garcia (bateria), Fernando Corona (piano), Aluizio Veras (baixo) e Dado (sax) desenvolvem interessante trabalho de divulgação da obra do maestro que batiza o grupo. Ao vivo, composições do autor das Bachianas Brasileiras ganham arranjos jazzísticos. 18 anos. Lapinha (100 lugares).Avenida Mem de Sá, 82, Lapa, tel. 2507-3435. Quinta (5), 21h30. R$ 15,00. www.lapinha-rio.com.br.

WILSON MEIRELES TRIO

Acompanhado por Danilo Andrade (piano) e Pablo Arruda (baixo acústico), o baterista que já tocou nas bandas de Hermeto Pascoal, Tim Maia, Gilberto Gil, Alceu Valença e Nana Caymmi é a estrela da jam session. No programa, toques de samba-jazz a standards americanos como Spain, Cantaloup Island e Donna Lee. 18 anos. Santo Scenarium (120 lugares). Rua do Lavradio, 36, Centro, tel. 3147-9007. Quinta (5), 20h. R$ 10,00. Cc: todos. Cd: todos. santoscenarium.blogspot.com.

ZÉ RENATO E CLAUDIO NUCCI

Parceiros dos tempos do grupo Boca Livre, os dois dividem o palco da Praça Tiradentes na próxima edição do projeto 7 em Ponto, que agora tem ingressos a preços populares. Cada uma das atrações apresenta seu repertório respectivo, mas em alguns momentos a dupla relembra junta sucessos do naipe de Toada e Quem Tem a Viola. 14 anos. Teatro Carlos Gomes (685 lugares). Praça Tiradentes, 19, Centro, tel. 2232-8701, ↕ Carioca. → Terça (3), 19h. R$ 1,00. Bilheteria: 14h/18h (seg.); a partir de 14h (ter.).

MULHERES EM PIXINGUINHA

A temporada reúne a pianista Sheila Zagury, a saxofonista e flautista Daniela Szpielman, a cantora Neti Szpielman e a pandeirista Clarice Magalhães. Talentosas, as moças apresentam os clássicos Um a Zero e Carinhoso, além de Naquele Tempo, De Mal a Pior, O Gato e o Canário e Aí Seu Pinguça. Livre. Teatro do Centro Cultural Justiça Federal (144 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, tel. 3261-2555, ↕ Cinelândia. Terça (3), 19h. R$ 30,00. Até dia 17.

Maria Rita

                     Citibank Hall/RJ no dia 7 de maio de 2011

Maria Rita faz única apresentação no Citibank Hall, na Barra Tijuca, no dia 7 de maio. O show reunirá músicas de seus três trabalhos e de projetos de amigos, dos quais ela participou.
Acompanhada por um trio composto por Thiago Costa (piano), Sylvinho Mazzucca (baixo acústico) e Cuca Teixeira (bacteria), leva ao palco um projeto singular que tem a canção como foco e a voz como mais um instrumento em cima do palco.
No repertório, canções mais marcantes como "Caminho das Águas" (Rodrigo Maranhão), "O que é o Amor" (Arlindo Cruz, Maurição, Fred Camacho), "Num Corpo Só" (Arlindo Cruz), "Conceição dos Coqueiros" (Lula Queiroga), "Santana" (Junio Barreto), "Só de Você" (Rita Lee e Roberto de Carvalho), "Encontros e Despedidas" (Milton Nascimento e Fernando Brant) entre outras.
show diverte, emociona, relembra sucessos e explora novas possibilidades, sem a pretensão de ser gravado em CD ou DVD. Como a própria cantora define: “um show só nosso”. Oportunidade única para o público que acompanha sua carreira.
Serviço
Maria Rita - Citibank Hall/Rio de Janeiro
Local: Citibank Hall - RJ (3.336 lugares)
Av. Ayrton Senna, 3000 - Shopping Via Parque - Barra da Tijuca. Tel.: 4003-6464
Data: 07 de maio de 2011, sábado, às 22h
Ingressos: R$ 70,00 (cadeira lateral) a R$ 130,00 (camarote e setor vip).
Duração: 1h40. Classificação: (até 12 anos acompanhados dos responsáveis legais)
Abertura da casa: 1h30 antes do espetáculo
Estacionamento do Shopping: R$ 5,00
Acesso para deficientes | Site: www.t4f.com.br. Venda a grupos: (11) 2846-6166 / 6232

Elza Soares - Pixinguinha In Jazz


Elza Soares


Dias 05, 06 e 07 de maio de 2011- Quinta a sábado


Buscando os elementos singulares da música de Pixinguinha, focando a brasilidade, mas, alterando seus timbres para os típicos do jazz, a Historic Brazilian Jazz Band une:
O swing da voz do milênio a diva Elza Soares com a musicalidade afro da percussão de Laudir de Oliveira; os grooves nos slaps de Paulo Russo em seu contrabaixo acústico, a ginga da bateria de Paulinho Black com o samba-jazz no trompete de Jessé Sadoc e com a originalidade nos teclados de Kiko Continentino.
Esses intérpretes mostram sua impressão individualizada do jazz sobre a música de Pixinguinha. Intérpretes que, assim como o mestre, atuam no cenário internacional colaborando para a divulgação da nossa música em todo o globo. Pixinguinha in Jazz é um projeto que atrela competência técnica e artística, um projeto de extrema qualidade sonora e devida necessidade histórica. A Historic Brazilian Jazz Band marca por sua criatividade e sofisticação excepcional, elevando o jazz a um estado mais quente, quase tropical, marcante. Um jazz diferente, e porque não dizer: brasileiro.
Teatro Rival Petrobras (472 lugares) - Rua: Álvaro Alvim, 33/37 - Cinelândia. Tel.: 2524-1666
Dias 05, 06 e 07 de maio de 2011- Quinta a sábado, às 19h30
Ingressos: R$ 60,00(Inteira) R$ 50,00(Os 100 primeiros pagantes) R$ 30,00(Meia)
Classificação: 16 anos. Mais info. www.rivalpetrobras.com.br

4.20.2011

Andreia Mota e Victor Ribeiro

                     20 de abril de 2011 - Quarta

O repertório foi cuidadosamente escolhido com o que há de melhor na bossa nova, jazz e sambas canção. Voz e violão interpretam de forma delicada e autêntica compositores como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Baden Powell, Dorival Caymmi, entre outros grandes nomes de nossa tão rica música, além de standards consagrados por grandes cantores como Louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Bille Holiday, Sarah Voughan, entre outros.
Jazz e Nossa Bossa - Andreia Mota e Victor Ribeiro. Quarta (véspera de feriado), às 22h.
Alm. Tamandaré,184 - Piratininga, Niterói-RJ - Tel.: 2619-4968 Reservas até às 20:30h.
Couvert: Calçada 5,00 Salão e Quintal 8,00

Blitz

                   20 de abril de 2011 - Quarta


Um dos grandes fenômenos musicais da década de 80 se apresenta pela primeira vez no ESPAÇO BAR DO MEIO. A banda BLITZ faz show do recente DVD “Eskute & Veja Blitz”, lançado em 2010. O repertório da noite intercala grandes sucessos da carreira - “Você não soube me amar”, “A dois passos do paraíso”, “Biquíni de bolinha amarelinha”, com as canções do novo álbum - "Eu, minha gata e meu cachorro", "Zero absoluto", "Skut" e "Nuvens", embaladas ao ritmo de rock, pop, reggae, blues, eletrônico, baladas de gaita e violão, guitarras swingadas e canto falado. O evento acontece nesta quarta, 20 de abril, véspera de feriado, a partir das 22h.
Formada atualmente por Evandro Mesquita (vocal, violão e guitarra), Billy Forghieri (teclado), Juba (bateria), Andrea Coutinho (vocal), Luciana Spedo (vocal), Cláudia Niemeyer (baixo) e Rogério Meanda (guitarra), a banda BLITZ possui 10 álbuns e 2 DVDs lançados nestes mais de 30 anos de carreira.
Bar Do Meio. Av. Almirante Tamandaré, 810, Piratininga - Niterói (antes da entrada de Camboinhas). Informações e reservas: (21) 2619-2505.
Blitz. Dia 20 de abril de 2011 - Quarta (véspera de feriado), a partir das 22h. Ingressos: Mesa de R$ 70,00 a R$ 140,00; Pista de R$ 40,00 a R$ 80,00. Site: www.bardomeio.com.br.
Classificação: 18 anos. O local possui acesso para deficientes físicos.

4.19.2011

ROTEIRO DA SEMANA

ACABOU LA TEQUILA

Influência para uma geração de roqueiros cariocas surgida nos anos 2000, a banda lançou o último disco em 2001 (O Som da Moda). Depois disso se dissolveu e seus integrantes saíram para formar grupos como Nervoso e os Calmantes, Lafayette e os Tremendões, Canastra, +2, Orquestra Imperial e Matanza. Mantendo a inusitada formação com duas baterias, o sexteto que mistura rock e sons latinos ensaia uma volta aos palcos. Aos fundadores Renato Martins (guitarra e voz), Kassin (guitarra), Leo Massacre (bateria) e Nervoso (teclado) juntam-se o baterista Rodrigo Barba (Los Hermanos) e o guitarrista Melvin (Carbona). Depois da apresentação, Marcelo Callado assume os pickups. 14 anos. Solar de Botafogo (160 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, tel. 2541-1941. Segunda (18), 22h. R$ 40,00. www.solardebotafogo.com.br.

CASUARINA E BANGALAFUMENGA

Dois exemplos bem-sucedidos, e distintos, dos caminhos tomados pelo samba neste início de século dividem a noite no Baile de Aleluia. Surgido nas rodas da Lapa, o primeiro abre os trabalhos com repertório baseado no ótimo DVD MTV Apresenta. Estão na lista Certidão, faixa-título do segundo álbum da banda, e Minha Filosofia, pérola do sambista Aluísio Machado. Sem deixar a peteca cair, entra em cena o bloco carnavalesco consagrado em batucadas no Horto. Releituras de sucessos do pop rock nacional são turbinadas por quase 150 instrumentos de percussão. 18 anos. Fundição Progresso (1 500 pessoas). Rua dos Arcos, 24, Lapa, tel. 2220-5070. Sábado (23), 23h50. R$ 60,00. Bilheteria: 10h/13h30 e 14h/18h (seg. a qui.); 14h/18h (sex.); a partir das 14h (sex. e sáb.). www.fundicaoprogresso.com.br.

CLAUBER FABR

Capixaba radicado no Rio, o violonista e guitarrista versa sobre o choro e o jazz de seu disco de estreia. Na companhia de Rodrigo Serra (vibrafone e percussão), Leonardo Contreiras (contrabaixo), Tino Júnior (sax e flauta), André Vercelino (percussão), Israel Rebouças (violão) e Edgar Araújo (bateria), Fabre também se arrisca na viola em alguns números. Livre. Sala Baden Powell (508 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, tel. 2255-1067, ↕ Cardeal Arcoverde. Quarta (20), 20h. R$ 20,00.

CLIFF KORMAN TRIO

Pupilo de Ron Carter, o pianista nova-iorquino radicado no Rio ganhou notoriedade por aqui depois de gravar Gafieira Jazz com o saxofonista Paulo Moura (1933-2010). Ao lado do baixista Jefferson Lescowich e do baterista Robertinho Silva, traz na bagagem De Ton para Tom (Toninho Horta), Fall (Wayne Shorter), Driftin’ (Herbie Hancock) e Corta-Jaca (Chiquinha Gonzaga). 18 anos. Santo Scenarium (120 lugares). Rua do Lavradio, 36, Centro, tel. 3147-9007. Sábado (23), 21h30. R$ 10,00. Cc: todos. Cd: todos.

COM VOCÊ, PELA VIDA

Com renda de bilheteria revertida para a Fundação do Câncer, a apresentação tem direção artística de Nilo Romero, que escolheu como homenageado o maestro Tom Jobim. Entre as atrações escaladas para a noite estão o cantor Milton Nascimento, o pianista Ivan Lins e Nnenna Freelon — com sua voz suave, a cantora americana de jazz já foi indicada ao Grammy em cinco ocasiões. As atrações serão acompanhadas pela Rio Jazz Orchestra, regida por Marcos Szpilman. 16 anos. Vivo Rio (2 000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, tel. 2272-2900. Segunda (18), 20h. R$ 120,00. Bilheteria: a partir de 12h (seg.). Estac. c/manobr. (R$ 15,00). IR. www.vivorio.com.br.

FESTIVAL BECO DAS GARRAFAS

Dedicado ao samba-jazz e à bossa nova, o evento chega à terceira semana. Na sexta (22), a cantora Kay Lyra homenageia o pai, Carlos Lyra. No sábado (23), é a vez do pianista Paulo Midosi comandar um trio por composições de Tom Jobim, Durval Ferreira e João Donato, com participação da cantora Olivinha Mansur. No domingo (24), Chico Batera desfila classe com as baquetas relembrando grandes momentos do beco boêmio que batiza o festival. Livre. Teatro Café Pequeno (110 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, tel. 2294-4480. Sexta (22) e sábado (23), 19h. Domingo (24), 18h. R$ 30,00. Bilheteria: 16h/21h (ter. a qui.); a partir das 16h (sex. a dom.).

FESTIVAL ARGENTINO

Em foco, produção musical contemporânea de nossos vizinhos. Liderado pelas cantoras Malena D’Alessio, Karen Pastranav e Karen Fleitas, o Actitud Maria Marta sobe ao palco na sexta (22) misturando reggae e hip-hop, sem deixar de lado influências da música tradicional de lá. Completam a formação um DJ e um bandoneonista. Na noite seguinte, a vez é do Anetol Delmonte. Formado por Leandro Rossi (violão e vocal), Ramiro López Chaplin (baixo e vocal), Ramón De la Vega (guitarra) e Eduardo Bazán (bateria e programações eletrônicas), o quarteto resgata gêneros como a milonga, a valsa e a cumbia em releituras modernas, mas sem abusar do eletrônico. 18 anos. Teatro Rival Petrobras (472 lugares). Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia, tel. 2240-4469, ↕ Cinelândia. Sexta (22) e sábado (23), 22h. R$ 50,00. Bilheteria: 15h/21h (seg. a qui.); a partir de 15h (sex. e sáb.). TT. www.rivalpetrobras.com.br.

JIMMY JIMMY & JAZZBREAKERS

Formado por Junior Trakinas (sax e flauta), Fabricio Santos (guitarra), Jeffin Rodegheri (baixo elétrico) e Bruno Salles (bateria), o quarteto de Volta Redonda está na cidade para apresentar um repertório funkeado de temas de Miles Davis, Dave Brubeck e dos parceiros Milton Nascimento e Toninho Horta. 18 anos. Santo Scenarium (120 lugares). Rua do Lavradio, 36, Centro, tel. 3147-9007. Quinta (21), 21h30. R$ 10,00.

LEO CAVALCANTI

Cantor e compositor, Cavalcanti bebe de influências tão diversas quanto a música árabe e a hindu. O resultado é um som pop que permeia o recém-lançado Religar. Ele participa do projeto Viva Voz na companhia de Décio 7 (bateria, percussão e sampler), Rovilson (guitarra) e Lucas Martins (baixo). 18 anos. Oi Futuro Ipanema (120 lugares). Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, tel. 3201-3000, ↕ General Osório. Sexta (22) e sábado (23), 21h. Domingo (24), 20h. R$ 15,00.

LULU SANTOS E BLITZ

Dois ícones da música pop brasileira sobem ao palco na mesma noite para apresentar o repertório de seus discos mais recentes. Lançado no ano passado, o Acústico MTV II traz algumas canções do lado B da discografia de Lulu, como Dinossauros do Rock e Brumário, mas a plateia pode se preparar para pular ao som de Assim Caminha a Humanidade e Último Romântico. Na outra apresentação, também não faltarão sucessos retumbantes, entre eles Você Não Soube Me Amar e A Dois Passos do Paraíso. Ao lado de outros dois integrantes da formação original (o tecladista Billy Forghieri e o baterista Juba), o cantor e compositor Evandro Mesquita mostra as novas e não menos divertidas Eu, Minha Gata e Meu Cachorro e Corações na Calça Jeans, do CD Eskute (2009). 16 anos. Vivo Rio (2 000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, tel. 2272-2900. Quinta (21), 23h. R$ 80,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. a qua.); a partir de 12h (qui.). Estac. c/manobr. (R$ 15,00). IR. www.vivorio.com.br.

NANDO REIS E CLAUDIO ZOLI

Divertido projeto do ex-Titãs, o Bailão do Ruivão reúne canções de grande apelo popular que, nos últimos dez anos, figuraram no bis das suas apresentações. Em um medley, Fogo e Paixão, de Wando, é emendada a My Pledge of Love, clássico sessentista do Joe Jeffrey Group, e a Frevo Mulher, de Zé Ramalho. Na mesma noite, Claudio Zoli investe em sucessos dançantes da carreira, como À Francesa e Noite do Prazer, além de clássicos da soul music brasileira. 16 anos. Vivo Rio (2 000 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo, tel. 2272-2900. Sábado (23), 23h30. R$ 80,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. a sex.); a partir de 12h (sáb.). Estac. c/manobr. (R$ 15,00). IR. www.vivorio.com.br.

NEI LOPES

Depois de reeditar o antológico A Arte Negra de Wilson Moreira e Nei Lopes (1970) ao lado do tradicional parceiro, no ano passado, o sambista volta-se à carreira solo. Quatro canções do disco, no entanto, estão no programa: Senhora Liberdade, Goiabada Cascão, Morrendo de Saudade e Não Foi Ela. O repertório traz ainda a divertida Tempo de Dondon. 12 anos. Teatro Sesi Jacarepaguá (350 lugares). Rua Geremário Dantas, 940, Freguesia, tel. 3312-3700/3753. Quarta (20), 20h. Grátis.

NO OLHO DA RUA

O grupo ganhou notoriedade com apresentações de jazz no calçadão da praia, perto do Posto 9. Paulo Rego (sax e flauta), Leandro Freixo (piano), Gustavo Schnaider (bateria) e Xandy Rocha (baixo) interpretam composições de Tom Jobim, Victor Assis Brasil e Pixinguinha, além de temas próprios. 18 anos. Santo Scenarium (120 lugares). Rua do Lavradio, 36, Centro, tel. 3147-9007. Quarta (20), 20h. R$ 10,00.

QUITO RIBEIRO

Músico e editor de cinema, Quito uniu as duas atividades numa apresentação em que o repertório próprio de Uma Coisa Só (2007) é apresentado como se fizesse parte da trilha sonora de um filme. Ele sobe ao palco na companhia das feras Pedro Sá (guitarra), Domenico Lancellotti (voz e mpc), Stephane San Juan (bateria) e Ricardo Dias Gomes (baixo). 14 anos. Solar de Botafogo (160 lugares). Rua General Polidoro, 180, Botafogo, tel. 2541-1941. Terça (19), 22h. R$ 40,00. www.solardebotafogo.com.br.

ROBERTA SPINDEL

Egressa de musicais de teatro, a atriz e cantora de voz potente apresenta Dentro do Meu Olhar, disco de estreia que chama a atenção pelo belo dueto com Caetano Veloso em Como Dois e Dois. Sem ousar na escolha do repertório, ela segue com canções marcantes da MPB, a exemplo de Esquinas — sua versão faz parte da trilha sonora da nova novela das sete, Morde & Assopra. Roberta solta a voz escoltada por Dudu Trentin (teclados), Pedro Mamede (bateria), Viny Melanio (baixo) e Felipe Melanio (guitarra). 18 anos. Lapinha (100 lugares). Avenida Mem de Sá, 82, Lapa, tel. 2507-3435. Quinta (21), 21h30. R$ 10,00. www.lapinha-rio.com.br.

ROGÉRIO CAETANO E LUIS BARCELOS

O encontro é uma ode ao virtuosismo. O violonista goiano Rogério Caetano e o bandolinista gaúcho Luis Barcelos são dois dos principais nomes da nova música instrumental brasileira. Na data em que se comemora o Dia Nacional do Choro, eles passeiam por clássicos do gênero. Livre. Centro Municipal de Referência de Música Carioca (200 pessoas). Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca, tel. 3238-3831. Quinta (21), 19h. Grátis.

3OH!3

Atração internacional da última cerimônia de entrega do VMB, concecido pela MTV, a dupla de cantores Sean Foreman e Nathaniel Motte visita a cidade pela primeira vez para divulgar o recém-lançado Streets of God. Além das canções do novo disco, mostram outras composições que alavancaram a carreira e lhe valeram indicação ao prêmio de revelação do ano passado da MTV americana. 18 anos. Circo Voador (2 000 pessoas). Arcos da Lapa, s/nº, Lapa, tel. 2533-0354. Domingo (24), 21h. R$ 200,00. Bilheteria: 12h/19h (ter. a qui.); 12h/0h (sex.); 21h/0h (sáb.); a partir de 20h (dom.). www.circovoador.com.br.

WANDA SÁ

Acompanhada pelo contrabaixo de Dodô Ferreira e pela bateria de João Cortez, a cantora lidera o trio por caminhos que levam a Ary Barroso, Tom Jobim e George Gershwin. 18 anos. Lapinha (100 lugares). Avenida Mem de Sá, 82, Lapa, tel. 2507-3435. Sexta (22) e sábado (23), 21h30. R$ 20,00. www.lapinha-rio.com.br.

ZÉ ARNALDO GUIMA

Integrante do grupo Samba na Cabeça, o cantor e violonista lança o disco Aviso à Praça. Livre. Centro Municipal de Referência de Música Carioca (200 pessoas). Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca, tel. 3238-3831. Sexta (22) e sábado (23), 19h. R$ 16,00. Bilheteria 10h/18h (ter. a qui.); a partir de 10h (sex. e sáb.).

GABRIEL CAVALCANTE

Também conhecido como Gabriel da Muda, o músico é uma das revelações do samba carioca. De voz grave, sobressai nas rodas do Samba do Ouvidor e do Clube Renascença. Em curta temporada na Praça Tiradentes, ele apresenta o repertório de O que Vai Ficar pelo Salão, disco de estreia, batizado com um dos versos de O Fino da Vida, de Renato Martins e Roberto Didio. A dupla compôs boa parte das catorze faixas do álbum — completam a lista três criações próprias, além de canções consagradas de Candeia, Cartola e do padrinho Moacyr Luz. Gabriel recebe como convidada a cantora Amélia Rabello. 18 anos. Centro Cultural Carioca (200 lugares). Rua do Teatro, 37, Centro, tel. 2252-6468, a Carioca. Terça (19), 21h. R$ 20,00. Cd: R e V. www.centroculturalcarioca.com.br.

RONALDO DO BANDOLIM E ROGÉRIO SOUZA CONVIDAM

O bandolinista do grupo Época de Ouro e o violonista do Nó em Pingo d’Água recebem o acordeonista gaúcho Alessandro Kramer, conhecido por interpretar o choro com sotaque dos pampas. 18 anos. Santo Scenarium (120 lugares). Rua do Lavradio, 36, Centro, tel. 3147-9007. Sexta (22), 21h30. R$ 10,00.

08 Anos do Pagode do Arlindo


                                   Dias 20 abril de 2011 - Quarta-feira

Um dos mais aclamados compositores do cenário do samba, Arlindo Cruz, subirá novamente ao palco do Rival Petrobras para celebrar os 8 anos do bem sucedido projeto, Pagode do Arlindo.
“Uma das razões principais que me comove em prosseguir com esse projeto no Teatro Rival Petrobras, é o ecletismo do público que freqüenta essa grande casa de espetáculo, me proporcionando mostrar minha música para os jovens, as senhoras, os meus colegas de palco, parceiros, enfim… Foi durante essa parceria do pagode, que eu fui aprimorando e tive a oportunidade de mostrar em primeira mão para o público, canções que eu havia acabado de compor e que hoje se tornaram grandes sucessos da minha carreira como: Bagaço da Laranja, Deixa Clarear, O que é o Amor, entre outras. E se não bastasse o Rival tem uma iluminação, som e um palco maravilhoso proporcionando assim uma grande qualidade no trabalho que desenvolvemos”.
Durante esses 8 anos de trajetória do pagode, o palco do Rival Petrobras sempre se transformou na sala de estar do mestre Arlindo. Uma variedade de talentos prestigiou a rica obra do artista, nomes como: Ana Costa, Zélia Duncan, Teresa Cristina, Moyseis Marques, Marcelo D2, Maria Rita, entre tantos outros vieram pedir a benção ao experiente sambista perfeito, título este, do último trabalho de Arlindo que fará parte do repertório dessa grande festa.
“Quero fazer uma grande festa para o povo da minha cidade e para o público do meu querido Rival Petrobras. Será véspera de comemoração do meu padroeiro São Jorge, guardião dos sambistas e dos homens de fé. Quero uma noite de muita alegria e energia junto ao meu estimado público”.

Teatro Rival Petrobras (472 lugares) - 
Rua: Álvaro Alvim, 33/37 - Cinelândia. Tel.: 2524-1666
Dias 20 de abril de 2011 - Quarta-feira, às 19h30.
Ingressos: R$ 50,00(Inteira). R$ 40,00(Os 100 primeiros pagantes). R$ 25,00(Meia).
Classificação: 16 anos. Mais info. www.rivalpetrobras.com.br

Angela Ro Ro

               Convidados Ricky Vallen e Zé Renato

Multimídia, Angela Ro Ro não se expressa apenas pela música. Ela já escreveu crônicas, apresentou programa de TV, ultimamente tem gravado divertidos vídeos com sua câmera fotográfica e agora, se prepara para entrar de cabeça na rádio. A ideia era fazer programas com convidados para seu site, mas Ro Ro, foi além e criou um verdadeiro evento e… dois programas diferentes.
Quinzenalmente Angela Ro Ro vai promover um evento,com o APOIO da UOL ,no Teatro Rival Petrobras. Nessas noites Ro Ro vai apresentar seu show voz e piano, receber convidados e gravar os dois programas. E o público vai poder presenciar tudo.
A cantora abre a noite com o show voz e piano, que vem sendo apresentado em várias cidades do país, com seus grandes sucessos, sempre com repertório renovado a cada semana. Depois, abre espaço para receber os dois convidados. Aí começam os dois programas.
Angela Ro Ro recebe colegas de música para bater papo, trocar repertório, promover duetos. Enfim, tudo que passar por sua cabeça criativa. Situações inesperadas, claro, como manda o figurino da artista.

Teatro Rival Petrobras (472 lugares) -
Rua: Álvaro Alvim, 33/37 - Cinelândia. Tel.: 2524 - 1666.
Dia 19 de abril, de 2011, terça-feira, às 19h30. Preço: Setor A / Mezanino. R$ 50,00(Inteira). R$ 25,00(Meia). Setor B / R$ 40,00(Inteira). R$ 30,00(Os 100 primeiros pagantes). R$ 20,00(Meia). Classificação: 16 anos. Site: www.rivalpetrobras.com.br

"Lapa de Todos os Sambas" no CCBB - Batuque na Cozinha


O Centro Cultural do Banco do Brasil realiza no dia 19 de abril de 2011, às 12h30m e 19h, a quarta apresentação da série LAPA DE TODOS OS SAMBAS, com show do BATUQUE NA COZINHA, considerado um dos grupos mais representativos nas rodas de samba que revitalizaram a Lapa, bairro ícone da boemia da cidade. No Teatro II do CCBB, Rua Primeiro de Março, 66, 2º andar (3808-2020). Ingressos a R$ 6,00 e R$ 3,00, meia.
O BATUQUE NA COZINHA surgiu em meados de 1998 e o nome foi sugerido pelo grande sambista Martinho da Vila, que logo virou padrinho. É atualmente um dos grupos mais respeitados da nova geração de sambistas e vem seguindo as vertentes do que há de melhor em nossa música brasileira, com um vasto repertório que vai de Noel Rosa a Zeca Pagodinho, tendo conquistado um público fiel que lota suas apresentações.
Para o show no CCBB o grupo escolheu o repertório do 1º DVD e 2º CD “Batuque na Cozinha ao Vivo”, que será lançado no segundo semestre e ainda as composições de Délcio Carvalho. O BATUQUE NA COZINHA é formado por André Corrêa (percussão e voz), Paulo Roberto (pandeiro e voz), Denis Sant’ana (tantan e voz), Juninho Travassos (cavaquinho), Álvaro Lúcio (violão e voz) e Dudu Oliveira (flauta).
O projeto musical LAPA DE TODOS OS SAMBAS, que estreou em 1º de fevereiro, reúne até junho - três gerações de bambas para comemorar a revitalização do bairro, reduto do samba e um dos mais badalados points da cidade. Para a realização da série de 16 espetáculos seu criador, Leonardo Conde, convidou desde os grandes mestres Elton Medeiros e Delcio Carvalho, passando por Eduardo Galotti - um dos precursores do movimento - e chegando até as jovens cantoras Elisa Addor e Roberta Nistra.

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil, Teatro II. Rua Primeiro de Março, 66 – Centro / (21)3808-2020
Dia 19 de abril, terça, às 12h30m e 19h, no Teatro II do CCBB / RJ
Bilheteria/Informações: de terça a domingo, de 9h às 21h
Ingressos a R$ 6 (inteira) | R$ 3 (estudantes, professores, funcionários e correntistas do Banco do Brasil e maiores de 60 anos). Metrô: Uruguaiana. Facilidades para deficientes www.bb.com.br
PROGRAMAÇÃO:
Sempre às terças-feiras em dois horários: às 12h30m e 19h.

PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES:

MAIO
Dia 3 maio – Toque de Arte
Dia 17 maio – Elton Medeiros
JUNHO
Dia 7 junho - Elisa Addor, Makley Matos e Cana de Litro
Dia 21 junho - Roberta Nistra e Edu Krieger

FICHA TÉCNICA:
Concepção e direção- Leonardo Conde
Direção musical- Eduardo Gallotti
Coordenação de entrevistas- João Pimentel
Produção- Stella Lima
Fotografia- Bruno Araujo
Programação visual- Iuri Brandão

4.15.2011


4.12.2011

Seresta Moderna lança o seu 1º CD no Teatro Rival Petrobrás

                                         12 de abril de 2011 - Terça

Criado em 1981 pelo musico, compositor e arranjador João Francisco Neves, o show "A Historia da MPB de 1916 Aos Dias de Hoje” ficou guardado até o ano de 2003, quando fundou o grupo Seresta Moderna, cuja formação inicial era: João Francisco (voz, violão e direção geral), Flavia Ventura (voz, piano e textos) e Juli Mariano (voz e pesquisa). A princípio, seria apenas uma descompromissada temporada de quatro meses no Teatro Gláucio Gill, em Copacabana, mas devido ao sucesso, o grupo pegou a estrada e viajou Brasil a fora, se apresentando em teatros, casas de espetáculo, clubes e praças.

O roteiro começa em 1916, com o primeiro samba oficialmente gravado no país: “Pelo Telefone”, de autoria de Donga e Mauro de Almeida; passa também por Carinhoso, de Pixinguinha e Braguinha; relembra o surgimento de Carmem Miranda em 1930; e ainda exalta a riqueza da música brasileira naquela década, através de grandes compositores como: Assis Valente, Zequinha de Abreu, Almirante, Noel Rosa e Ari Barroso, seguindo década em década até os dias de hoje.

No dia 12 de abril, no Teatro Rival Petrobrás, o grupo Seresta Moderna lança o seu primeiro CD, contendo 10 faixas, com clássicos da MPB e músicas autorais. O espetáculo, que conta com a participação especial das cantoras Claudinha Teles e Luiza Dionizio, mistura belíssimas releituras com surpreendentes canções de sua autoria, apresentando assim arranjos que valorizam as vozes e as obras do século passado.

Com a mistura de saudosismo e modernidade em suas composições, o grupo Seresta Moderna cresce e conquista seu espaço, provando que, quando o assunto é música, o novo e o antigo convivem na mais perfeita harmonia.

O espetáculo traça o caminho dos grandes sucessos da nossa música com seus maiores clássicos. História e estórias deliciosamente contadas e cantadas pelo grupo Seresta Moderna.

Seresta Moderna: João Francisco Neves (voz, violão e direção geral) | Kelce Moraes (voz)
Juli Mariano (voz e pesquisa) | Biel Neves (piano e voz).
Participação: Luiz Makarra (bateria e percussão) | Valdo Loureiro (baixo).


Por Moacir Magalhães - Site: www.serestamoderna.com

Patrícia Mellodi

Cantora e compositora apresenta as canções do disco ‘Do Outro Lado da Lua’

                                    Dia 13 abril de 2011 - Quarta-feira

A cantora e compositora piauiense Patrícia Mellodi está lançando seu quarto disco ‘Do Outro Lado da Lua’, o mais autoral de sua carreira. Com direção geral de Márcio Trigo – diretor da TV Globo – Patrícia passeia teatralmente por suas canções num clima de cinema noir.

Influenciada por diferentes ritmos, a artista mostra que conhece o rico cenário musical brasileiro. Restringir Patrícia Mellodi à apenas ‘mais uma cantora de MPB’ é não reconhecer a grandiosidade da sua música e de seu talento. Porque a artista assimilou a pluralidade de todas as influências recebidas e fez um CD que une Tango, bossa nova, samba, rock e blues em 11 canções inéditas e autorais cuja produção é assinada pelo talentosíssimo Felipe Eyer assim como todos os arranjos.

Patrícia também contou com as luxuosas participações do maranhense Zeca Baleiro recitando um poema do poeta Mário Faustino na canção ‘Múltiplo Amor’, de autoria da cantora, de Marcelo Caldi que toca, magistralmente, seu acordeom na música ‘Motivos’, outra parceria de Patrícia, desta vez, com Alexandre Lemos e, Henrique Cazes com seu cavaquinho na faixa ‘Últimas Palavras’, também de autoria da artista.

Abrindo o disco o blues ‘Duas ou Três Coisas’. Na seqüência, ‘Noites em Claro’, uma balada rock/blues que fala sobre paixão e o vício que ela provoca. ‘Últimas Palavras’ é um samba que fala sobre o boêmio bairro da Lapa e um dos piores sentimentos humano, o ciúme. Em ritmo de bossa nova a música ‘Não’ exalta o amor embalada por arranjos sofisticados.

Já a música que dá nome ao disco ‘Do Outro Lado da Lua’ é uma parceria de Patrícia com sua filha, Clara Mello. A canção embalada pelo rock’n’roll nasceu de uma poesia escrita por Clara que retrata a impossibilidade da paixão diante da rotina do cotidiano.

‘Motivos’ conta com a participação do acordeom de Marcelo Caldi e tem uma levada espanhola misturada com o tango argentino. ‘Mais Uma Vez’ traz a ousadia dançante dos anos 70 e ‘Fuja de Mim’ é uma balada folk que retrata, mais uma vez, a psicopatia causada por paixões exacerbadas.

‘Algum Tempo’ é uma canção em formato voz e violão que fala sobre amores duradouros. O pop não ficou de fora deste CD que mistura vários gêneros musicais, ‘A Melhor Pessoa’ já nasceu hit. E fechando o álbum, ‘Múltiplo Amor’ que une a letra de Patrícia e a poesia de Mário Faustino, declamado brilhantemente por Zeca Baleiro.

Letras densas e tons menores fazem deste álbum um trabalho mais dramático e bem diferente dos outros discos lançados por Patrícia Mellodi.
No palco, Patrícia Mellodi será acompanhada pelos músicos Felipe Eyer (guitarra e violão de aço), André Carneiro (baixo), Sérgio Melo (bateria), Caíque Vandra (teclado) e Firmino Alves (percussão).

Teatro Rival Petrobras (472 lugares) -
 Rua: Álvaro Alvim, 33/37 - Cinelândia. Tel.: 2524-1666
Dia 13 de abril de 2011 - Quarta-feira, às 19h30.
Ingressos: R$ 40,00(Inteira). R$ 30,00(Os 200 primeiros pagantes). R$ 20,00(Meia).
Classificação: 16 anos. Mais info. www.rivalpetrobras.com.br

Suburblues na Lapa - “Uma Noite no Tennessee”

                                        14 abril de 2011 - Quinta

A magia do blues tem encontro marcado com os cariocas na próxima quinta-feira, dia 14, no Rio Rock & Blues Club, dentro do projeto "Uma Noite no Tennessee". Quem levará o estilo de nomes como Freddie King, Albert King e B.B King, entre outros, para o palco na Lapa será o grupo carioca Suburblues, com pouco mais de 20 anos de estrada, comandado pelo guitarrista Maurício Silveira e que conta com a forte voz de Stefania Blink. “A banda tem como trunfo a voz mais que privilegiada de Stefania Bllink [...] uma das melhores vozes do pop rock nacional”, disse o crítico Jamari França, em seu blog Jam Sessions, no site Globo Online.

O Suburblues faz uma fusão do classic rock, que foi trilha sonora dos nos anos 70, e o blues de raiz do Mississipi. Inspirado nesses dois estilos, o sexteto – completado por Alexandre Barcelos (guitarra), Jean Campelo (baixo e voz), Carlos Henrique (bateria e voz) e Márcio Loureiro (teclados e guitarra) – pinça verdadeiros clássicos para o repertório, como “Gimme Me Some Lovin’” (Freddie King), “Little By Little” (Lowell Fulson) e “You’re The Boss” (B.B. King).

Suburblues no Rio Rock & Blues Club, pelo projeto "Uma Noite no Tennessee"
Rua do Riachuelo 20, Lapa. Telefone: 3684-1091. 14 de abril, quinta-feira, às 21h30. R$ 10,00 Classificação etária: 18 anos.

ClassicRock Acústico

                         12 de abril de 2011

Encontrar e fazer novos amigos roqueiros, e tocar o que a gente gosta é o nosso objetivo. Se voce foi criado com boa música tipo: Jethro Tull, Renaissance, Yes, Pink Floyd, Led Zeppelin, Beatles, Rolling Stones, Badfinger, Pearl Jam, Deep Purple, Hendrix, Monkees, BTO, etc…, se junte a nós.

Conversa Fiada. Rua Vinícius de Moraes, 75 - Ipanema
Dia 12 de abril de 2011, terça das 19 às 22h. R$8,00

"Ung Talent, no Projeto Fazendo o que Gosta"

                    14 de abril de 2011 - Quinta

Depois do sucesso no Festival de Forde (Noruega), jovens e talentosos músicos (18 a 25 anos), da Noruega e do Brasil, se apresentam especialmente no dia 14 de Abril, Quinta Feira, às 20h30min, numa edição extra do projeto "Fazendo o que gosta" no Bistrô MAC, um encontro único com a cantora carioca Thaís Motta, o percussionista niteroiense, Célio de Carvalho e o anfitrião do projeto, o pianista Marvio Ciribelli.

"Ung Talent", jovens de talento. O Festival de Forde (cidade ao oeste da Noruega) promove anualmente, um encontro de músicos jovens de outros países com músicos jovens norueguêses. Chama-se Ung Talent, o que significa talento jovem. A faixa etária é de 18 a 25 anos e, sempre são convidados 3 artistas de cada país. Em 2010 foi a vez de artistas de Cabo Verde e Brasil se encontrarem com os noruegueses. Principalmente por causa do talento de cada um, a integração do grupo foi total e imediata. O pecussionista niteroiense Célio de Carvalho, foi convocado como um dos instrutores musicais e hoje, trás ao Brasil os artistas da Noruega para encontrem os colegas brasileiros. Mais Info. Bistrô Mac Ung Talent no Bistrô Mac. 14 de Abril, quinta, a partir das 20h30. Ingresso: R$ 15,00. Bistrô Mac (120 lugares).
Praia da Boa Viagem, s/nº. Subsolo do Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Tel.: (21) 2629-1416.